24

janeiro.2019

O encerramento do Google+ acende um alerta sobre as redes sociais?

Em Outubro de 2018, o Google anunciou que encerrará as atividades de sua rede social, o Google+, até abril de 2019, com isso, abre-se ainda mais a discussão sobre a confiabilidade das plataformas de transmissão de conteúdos quando o assunto é Marketing Digital.

A rede social do Google, desde seu lançamento em 2001, nunca conseguiu fazer frente às plataformas mais famosas como o Facebook e o Instagram. Desde um possível vazamento de informação até a própria falta de engajamento, os problemas se multiplicaram.

Apesar de muitas empresas usarem a rede como ferramenta de SEO, como sempre, nessa transformação digital quem manda é o usuário, portanto o Google+, de fato, nunca decolou e seu fim acende um alerta de como encaramos as redes sociais como canais de conteúdos e até mesmo geração de Lead.

A importância do Google+ e das outras redes sociais.

Não é possível dizer qual é a melhor forma de uma empresa divulgar seus conteúdos e marcas sem planejamento. Muitas vezes, o planejamento da Agência de Marketing Digital aponta para as redes sociais, é claro. Isso acontece por vários motivos:

Os usuários são muitos; as facilidades de expor conteúdos infinitos e o engajamento são muito atraentes; porém, como tudo na vida digital, há os contras e o encerramento das atividades do Google+ expõe um problema que pode acontecer em qualquer plataforma da qual sua empresa seja dependente.

A autonomia total em mudar as regras, que as redes têm, acaba deixando uma desconfiança na hora de investir energia e aquela rica verba de marketing sofrida que tem que ser desmembrada em mil mídias.

Além disso, há a preocupação dos seus seguidores. Para onde vão? Eles migram junto? Eles vão entender que o problema não foi causado pela sua empresa? E todo o trabalho que se teve criando conteúdos e cuidando dos “fãs”?

É sentar, planejar tudo de novo e partir para rede social do momento.

Como saber qual a rede social do “momento”?

Um alerta não é sinal de pânico, não é a primeira vez que uma rede social morre. Temos exemplos muito mais famosos que o Google+, que de fato nunca foi um grande sucesso.

Para citar um dos mais famosos, temos o caso do Orkut, a rede social social viveu por 10 anos e era bem parecida com o Facebook, claro que à época, as propagandas e patrocínios ainda não tinham se apoderado dos conteúdos, mas mesmo assim, todos sobrevivemos felizes e quem estava preparado com planejamento, saiu à frente.

É importante ter em mente que dentro de um planejamento sólido, cada rede social serve para uma interação, cada uma tem um objetivo. Identificar e filtrar os prós e contras é imprescindível.

De qualquer forma, parece que a transformação digital tem um jeito especial de ir substituindo as redes sociais com velocidade nos nossos dedos e as empresas sempre podem contar com os 12 anos de experiência da Agência Pulso para identificar quando uma mídia não está dando o retorno desejado.

Por isso, não há motivo para pânico, se estivermos sempre à frente do problema, conteúdos, clientes e fãs nunca serão perdidos.

Você tambem poderá gostar de: