23

outubro.2019

A geração Z e seu modo próprio de consumir conteúdo

Geração Z é a definição dada a geração de pessoas que nasceram a partir do fim da década de 90 até o início de 2010. 

Também conhecidos como GenZ, foram criados na internet, tecnologia, redes sociais e conexão, estima-se que ao final de 2019, essa geração representará 32% da população mundial, segundo dados da ONU.

O desafio óbvio da Agência de Marketing Digital e das empresas que querem atingir a maior fatia da população é entender e falar a língua dos nativos digitais, que não conheceram o mundo offline, e cresceram em meio a avalanche de informações e recessão econômica.

E agora?

A geração Z e o conteúdo

Muitas empresas ainda não entendem bem esse público e a geração Z trouxe ao mundo, como grande característica, a transformação na maneira de pensar, agir e consumir com muita velocidade (e impaciência). Muito do conteúdo é criado e consumido dentro do próprio meio.

Explicando: ao utilizar ferramentas cada vez mais conectadas e intuitivas, com a tecnologia sendo barateada e a informação e criatividade compartilhadas de uma forma abrupta e veloz, essas pessoas não dependem mais de um produção mirabolante de uma grande emissora de TV, por exemplo, para serem impactados.

Quanto mais acessível o conteúdo, melhor.

Acessível?

Sim, a geração Z é conectada. Pensa rápido, se apaixona rápido e se “desapaixona” mais rápido ainda, nesse momento, a autenticidade ganha espaço no coração desses jovens que sabem diferenciar muito bem Conectividade de Conexão. E é aí que está o “pulo do gato” das empresas e da Agência de Marketing Digital.

Conectividade x Conexão

Para ser bem claro, vou até dar uma apelada ao dicionário:

  • Conectividade: capacidade ou possibilidade (que tem um computador, dispositivo, sistema operacional, programa etc.) de operar em um ambiente de rede. 
  • Conexão: ligação, união, vínculo. 

É preciso ter muita atenção nesses pontos para criar uma comunicação estável com a geração Z. Há mais conectividade e menos conexão com as marcas.

Eles acham mais a sua empresa e em mais canais, mas se conectam menos com publicidade tradicional, com propagandas exageradas e promessas extravagantes.

Eles não querem ser parte da sua marca, eles querem que sua marca seja parte deles.

Alguns dados rápidos sobre os GenZ

Dados de pesquisa do Google Consumer Survey revelam que as pessoas da geração Z são menos conectados às marcas do que as gerações anteriores, muitos nem tem uma marca favorita, sendo usuário ou não.

Outra revelação interessante da pesquisa é que temas relacionados ao meio ambiente e temas coletivos os preocupam bastante.

É importante interpretar esses comportamentos para criar identificação, posicionando a empresa com valores autênticos de preocupação com meio ambiente, por exemplo.

Porém, se sua empresa não possui esse valor, verdadeiramente, não adianta ser fake, os Genz vão perceber, com certeza.

Então, como falar o idioma dos Nativos Digitais?

Os jovens, obviamente, também se preocupam com a família e o futuro; e como vimos, preferem se conectar ao ecossistema de uma marca, empresa ou influência. Aprender a falar com eles e criar conexões reais e significativas pode representar um avanço nas vendas durante longos anos.

Pensando bem, a geração Z, apesar da pouca idade, talvez já tenha ensinado uma valiosa lição às empresas e às Agências de Marketing Digital. Talvez, estejamos encarando a geração mais simples de ser conquistada. Eles só querem honestidade, autenticidade e eficiência.

Valores que devem permear não só a comunicação com os GenZ, mas quem sabe, todas as outras gerações, tanto anteriores quanto às futuras.

Na Pulso, Agência de Marketing Digital que viu a transformação das gerações de perto, sempre pautamos ações baseadas em comportamentos, por isso sempre temos um pé no futuro e um processo de pesquisa que respeita e tem empatia na hora de ouvir a dor do receptor da mensagem.